Por que cada pessoa pode ter uma percepção diferente do mesmo perfume?

Descubra o que faz com que uma mesma fragrância tenha efeitos diferentes nas pessoas!

Por que cada pessoa pode ter uma percepção diferente do mesmo perfume?

Se você já passou pelo momento de comprar algum dos perfumes da sua coleção com companhia, deve ter percebido que cada pessoa pode interpretar uma mesma fragrância de formas diferentes. É a partir dessa diferença que desenvolvemos nossas preferências e decidimos o que gostamos ou não. Mas, as dúvidas sobre esse "fenômeno" são bem comuns, afinal de contas, mesmo que frascos diferentes sejam utilizados na hora de experimentar, o processo de produção da fragrância é o mesmo. Dê uma olhada aqui embaixo e descubra, exatamente, como a mudança ocorre!


O que muda não é, necessariamente, o perfume


Todos os estímulos absorvidos pelos nossos cinco sentidos são processados por diferentes partes do nosso cérebro. O olfato é o único dos cinco que é diretamente ligado ao sistema límbico, uma região responsável por controlar nossos comportamentos sociais e emoções. Também é ali que fica o hipocampo, sede da memória do nosso corpo. Por causa da proximidade entre ele e o bulbo olfativo, na hora de processar um novo aroma, inconscientemente levamos em consideração a nossa memória emocional e uma série de outros fatores presentes na construção da nossa personalidade. Ou seja: pode acontecer de um perfume parecer mais ou menos forte, mais ou menos doce para pessoas diferentes, de acordo com os elementos fixados em suas memórias olfativas.


A memória olfativa é uma das mais eficientes do corpo humano


Justamente por ser processado perto do hipocampo, o olfato é o sentido que tem a melhor relação com a memória humana. Mas a ligação da percepção dos aromas com o seu cérebro não para por aí: como o sistema límbico também processa as nossas reações emocionais por meio da amígdala cerebelosa, é comum você associe eventos e pessoas muito marcantes — de uma forma boa ou ruim — com cheiros diferentes. Esse compartimento do cérebro também é responsável pela formação de memórias emocionais, ou seja: é por causa dessa proximidade que você consegue, por exemplo, sentir nostalgia ao se deparar com um aroma da infância.


Essa não é a única diferença de pessoa para pessoa no que se trata de perfumes


Um outro fator conhecido por gerar dúvidas no que se trata da exalação e fixação de perfumes é a diferença encontrada no resultado depois da aplicação de uma pessoa para a outra. Isso acontece porque o pH da nossa pele e o odor natural do suor variam de acordo com o que nós comemos ao longo do dia. Ou seja: a reação da fragrância e desse aroma natural pode gerar um resultado completamente diferente do esperado quando o perfume for exalado de você. A temperatura do dia também pode influenciar: é comum que, em dias quentes, as fragrâncias fiquem mais fortes. Por isso, indica-se o uso de perfumes mais refrescantes nessa época do ano..

Continuar lendo

Compre Aqui